A Camborough vem registrando no campo resultados que a estabelecem como a fêmea de melhor custo-benefício do mercado, desde a preparação das leitoas de reposição até o abate de sua progênie. A análise de sua performance reprodutiva, em diferentes ambientes e sistemas de produção, revela uma matriz de alta prolificidade, que se destaca em todos os índices produtivos levados em consideração quando se avalia a sua contribuição para a lucratividade.

 

O conjunto de indicadores econômicos e zootécnicos colocam a fêmea Camborough, em lugar de destaque quando a meta é obter um menor custo por leitão desmamado e uma maior margem por cevado abatido.

 

Diante de uma suinocultura de margens cada vez mais apertadas, de forte volatilidade dos custos de produção e alta variabilidade no valor recebido pelo cevado abatido, os sistemas de produção devem, a cada dia, produzir mais utilizando menos recursos.

 

A precocidade reprodutiva da matriz Camborough, associada à uma alta eficiência de crescimento, permite otimizar o tempo de preparação das leitoas de reposição. Os melhores resultados reprodutivos são obtidos quando a primeira cobertura é realizada entre os 136 e 145 kg de peso vivo, que serão alcançados em média aos 220 dias de idade. Essa condição permite que ela seja coberta já no segundo cio, reduzindo os gastos de ração durante o período de preparação.

 

Todos estes diferenciais, somados a alta prolificidade e habilidade materna, permitem a Camborough superar a produção anual de 210 kg de leitões desmamados com gasto inferior a 35 kg de ração por leitão desmamado, firmando-se, indiscutivelmente, como a matriz de melhor balanço econômico do mercado.

Tabela

Fonte: Agriness S2 e PigCHAMP.

Dados consolidados do ano de 2016.