Na Agroceres PIC, o presente é resultado do futuro. É o produto de visões evolutivas para a suinocultura brasileira, que já é referência internacional. Essa aliança com o futuro marca a empresa desde a sua criação, quando revolucionou o mercado, ao introduzir o conceito de genética para máxima eficiência zootécnica, para maior rendimento de carne magra e melhor qualidade de carne.
 
São décadas de conhecimento e experiência com os desafios da cadeia produtiva da carne suína, sempre com atuação inovadora e orientada para tecnologias de vanguarda.

 

2016

Lança o macho reprodutor AGPIC 359, com máxima eficiência de crescimento e resiliência.

2014

Incorpora a empresa de genética suína Génétiporc.
Lança o programa de atualização genética AGPIC PLUS, um avançado sistema de produção fechado.

2013

Inaugura a Unidade de Disseminação de Genes em Fraiburgo -SC, criando uma base tecnológica que permita à suinocultura do País agregar novos ganhos em competitividade. 

Lança o programa genético de reprodutores CBV Max - progresso genético elevado à máxima potência

2012

Lança o macho AGPIC 327, com exclusiva genética para robustez e crescimento acelerado da progênie.

Lança o macho AGPIC 426, com perfil superior em qualidade e conformação de carcaça.

2011 

Lança a matriz Camborough – a fêmea global da Agroceres PIC.

2009

Lança o reprodutor AGPIC 425, um novo padrão genético para produção de carne magra.

2007

A Agroceres PIC completa 30 anos.

2006

Lança o reprodutor AGPIC 415, um marco em rendimento de carne magra e cortes nobres.

2005

Lança o macho reprodutor AGPIC 380, que produz cevados com alta taxa de crescimento e qualidade de carne muito superior.

2004

Lança a Camborough 23, matriz de alta eficiência reprodutiva e excepcional habilidade materna.

2003

Lança a Camborough 25, excepcional eficiência reprodutiva e melhores níveis de produtividade.

2002

Lança o reprodutor AGPIC 337 PT1, com restrição alimentar automática. É o segundo marcador genético da geração AGPICmarq. Certificação ISO 9001: 2000 na Unidade de Disseminação de Genes. Certificação ISO 14001 na Granja Núcleo.

2000

Lança o macho-avô AG 1075 LS1, o primeiro marcador genético de uso comercial no Brasil - uma tecnologia exclusiva AGPICmarq.

1999

Certificação ISO 9002 da sua Unidade de Disseminação de Genes, a primeira do setor.

1998

Lança os machos AGPIC 427 e AGPIC 421, uma nova geração de machos com alto rendimento de cortes nobres.

Lança o macho AGPIC 337, livre do gene Halotano, com qualidade de carne superior.

1997

Lança três machos de alto valor genético, AGPIC 410, AGPIC 413 e AGPIC 420, especiais para inseminação artificial.

1996

Cria o "Suíno Ultralight“ – AGPIC 419: carne com menos gordura e muito mais saudável.

1995

Implanta uma Unidade de Disseminação de Genes.

1994

Lança a Camborough 22, matriz para granjas com alta tecnificação.

1993

Pioneiramente utiliza o teste de DNA para identificar animais livre do gene Halotano®.

1992

Cria o "Suíno Light“ – AGPIC 405, dando novo salto em qualidade de carcaças.

1990

Lança o macho AGPIC 400, um novo padrão em qualidade de carcaça e rendimento de cortes nobres.

1986

Lança o macho AGPIC 231: ganhos em eficiência de crescimento.

Primeira a usar a técnica do Desmame Precoce Medicado, no Brasil

1985

Lança a Camborough 15 - primeira matriz comercial three-cross do mercado: hiperprolificidade, robustez e qualidade de carne.

Desenvolve o primeiro programa de nutrição exclusivamente voltada a suínos de alta performance. 

Lança a avó AG1050

1983

Cria um setor de Engenharia e Projetos para apoiar os clientes.

1982

Inicia o desenvolvimento de Linhas Maternas Hiperprolíficas.

1980

Lança o reprodutor híbrido AGPIC 204.

1979

Lança a matriz híbrida Camborough.

1978

Traz para o Brasil o primeiro núcleo genético para modernos suínos tipo carne.

1977

Nasce a Agroceres PIC, joint-venture entre a Agroceres e a PIC Pig Improvement Company